Meu blog principal

Achologia

Pesquisar aqui

 

Arquivos

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007

Como a água

por Antonio Francisco

Quero ser como a água que vence seus obstáculos, que apaga o fogo do ódio, e mesmo se evaporando pode voltar a ser líquida ou sólida, assim quero ser;

Quero ser como a água que não é mole, ela é maleável e adaptável ao seu contexto, e tem a força de pressionar e superar as suas barreiras pela frente;

Quero ser como a água que mesmo presa não se deixa dominar pelos limites impostos, ocupando todo o espaço que lhe for permitido chegar e continuar;

Quero ser como a água que não desiste, pelo contrário, persiste e chega onde quer chegar, com voz ou no silêncio que age enquanto todos param pra ver;

Quero ser como a água que leva e lava. Leva o que de outra forma não sairia do lugar, e que lava a sujeira de quem não poderia se limpar, assim quero ser;

Quero ser como a água que humildemente desce, mas sabe subir quando dificuldades encontra, pois conhece seu caminho e sabe abrir novos rumos;

Quero ser como a água que enfrenta ondas impuras mas que mantém na fundura a essência do que é, jogando para fora toda sujeira pela força das marés;

Quero ser como a água que se junta a outras águas prolongando seu curso, aumentando sua força no caminho a prosseguir e criando um oceano sem fim;

Quero ser como a água que dessendenta, que refrigera, que purifica, que dá energia para movimentar o progresso que de outra maneira tudo estagnaria;

Quero ser como a água que sabe mudar sem parar, e nunca perder a natureza de ser o mesmo ser que muda como a essência da água, assim quero ser.

publicado por Antonio Francisco às 12:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2007

Minha pequena gigante


por
Antonio Francisco

Para Renira

Eu quero fazer rima, poesia e muito mais
gostaria de me expressar bem mais do que sou capaz
hoje o dia é favorável para expressar sentimento
lágrimas e voz embargada, mas nada de lamento

É bom ver os meus frutos desabrochando e crescendo
ampliando os horizontes sempre se desenvolvendo
o ninho é muito bom, mas tem tempo pra acabar
quem fica sempre em casa pode se acomodar

Fomos feitos para crescer, multiplicar e dominar
onde quer que estiver faça dali o seu lar
os filhos são como flechas na mão de um guerreiro
acredito que com você posso dar tiro certeiro

Seu nascimento dia primeiro não foi algo casual
você encerrou a madre por não vir ninguém igual
o seu brilho é diferente, não posso guardar segredo
você demonstra na vida que no amor não há medo

Vá nessa sua força minha pequena gigante
vamos continuar juntinhos mesmo estando distante
sua conquista é minha vitória, seu triunfo minha história
aqui somos peregrinos, nosso destino é a glória.
 

publicado por Antonio Francisco às 22:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
blogs SAPO